13 de maio de 2017

UMA HISTÓRIA DE FÉ QUE MUDOU O MUNDO

Estamos no mês de maio, chamado popularmente pelos comerciantes como o mês das noivas. Mas não podemos esquecer que é também o mês de Maria, mês das mães. Isso porque no segundo domingo de maio comemoramos o dia das mães e no dia 13 de maio celebramos o dia de Nossa Senhora de Fátima. Tendo em vista, que no dia 5 de maio de 1917, durante a primeira guerra mundial, o papa Bento XV, convidou os católicos do mundo inteiro para se unirem em uma cruzada de orações para obter a paz com a intercessão de Nossa Senhora. Oito dias depois a Beatíssima Virgem dava aos homens a sua resposta, aparecendo a 13 de maio a três pastorinhos portugueses, Lúcia de 10 anos, Francisco de 9 e Jacinta de 7 anos.

Nossa Senhora de Fátima marcou com eles encontro para o dia 13 de todo mês, naquele mesmo lugar, por ser um lugar espaçoso e descampado denominado “Cova da Iria”. Lúcia, a maiorzinha, recomendou aos priminhos para não contarem nada em casa. Mas Jacinta não soube guardar o segredo e no dia 13 de junho, os três pastorinhos não estavam mais sozinhos no encontro. No dia 13 de julho Lúcia hesitou em ir ao encontro porque os pais a haviam maltratado, mas depois se deixou convencer por Jacinta e foi precisamente durante a terceira aparição que Nossa Senhora de Fátima prometeu um milagre para que o povo acreditasse na história das três crianças.

De modo que, a 13 de agosto os três videntes, fechados no cárcere, não puderam ir à Cova da Iria. Foi em 13 de outubro o último encontro, com mais de setenta mil pessoas lotando o lugar das aparições, tiveram a oportunidade de presenciar o maior fenômeno físico do mundo, desafiando todas as leis físicas da natureza. Num mesmo ambiente, três, ou no máximo quatro pessoas, por um contágio psíquico podem ter a mesma alucinação, podem ver o mesmo fenômeno, no caso em pauta, viram “o sol girar no céu”, como se estivesse para destacar-se do firmamento, crescendo entre as chamas multicores. É claro que o sol não girou, foi uma alucinação coletiva que a psicologia não explica. Diz que isso não acontece em circunstâncias normais. Todos verem o mesmo fenômeno! Por que o restante do mundo não viu? Mais de setenta mil pessoas viram o sol girar e isto só aconteceu naquele local. Por quê? Como se explica?

Segundo relato dos próprios pastorinhos, a visão era de uma “Senhora mais brilhante que o Sol”, e em suas mãos pendia um Rosário. Serena e tranquila disse às crianças: “Vim para pedir que venhais aqui seis meses seguidos, sempre no dia 13, a esta mesma hora, pontualmente ao meio-dia. Depois vos direi quem sou e o que quero. Em seguida, voltarei aqui ainda uma sétima vez”. E as aparições aconteceram sete meses seguintes conforme o prometido. Antes de ir embora, Nossa Senhora de Fátima ainda ressaltou: “Rezem o terço todos os dias, para alcançarem a paz para o mundo, e o fim da guerra”.

Portanto, ao constatar-se o fato da segunda guerra mundial os cristãos lembraram-se da mensagem de Fátima. Em 1946, na presença do cardeal e no meio de uma multidão de oitocentos mil peregrinos, houve a coroação da estátua de Nossa Senhora de Fátima. E em 1951, o papa Pio XII estabeleceu que o encerramento do “ano santo” fosse celebrado no Santuário de Fátima. Ao celebrar 50 anos das aparições de Nossa Senhora, no dia 13 de maio de 1967 o papa Paulo VI chegou a Fátima, onde o aguardava, juntamente com um milhão de peregrinos, que haviam passado a noite ao relento com Lúcia, a vidente. Neste sábado dia 13 de maio de 2017 é o papa Francisco que chegará ao Santuário de Fátima para canonizar os irmãos Jacinta e Francisco Marto e participará do centenário das aparições da Virgem aos pastorinhos. Contudo, um dos milagres alegados para a canonização dos dois pastores aconteceu com um menino brasileiro. (História que vou contar em outra oportunidade)   

Um comentário:

  1. História linda e verdadeira para quem acredita, como eu Amém !!!!

    ResponderExcluir